sábado, 29 de outubro de 2011

M606A2 e M606A3 parte 2


Acima, uns dos pouquíssimos M606A2 ou A3 que estiveram na Guerra do Vietnã, já que a maioria da série M606 eram os derivados do CJ3B. Apesar destes modelos não serem produzidos para uso das Forças Armadas dos Estados Unidos, muitas unidades norte-americanas utilizaram-nos naquele conflito. O modelo da foto apresenta detalhes modificados ou ausentes como a antena posicionada no lado direito, quando o habitual era no lado esquerdo, ausência de itens como estepe na traseira e estribos laterais, retrovisor posicionado como os M38A1, rodas diferentes, muito semelhantes às do MUTT-151. Também possuía uma lanterna adicional no parachoque dianteiro, muito utilizada em comboios, já que este modelo da foto pertencia a uma unidade logística de transporte (88ª Cia de Transporte). A grande maioria dos jeeps utilizados na Guerra do Vietnã eram do modelo Ford MUTT-151, principalmente após 1965, espécie de jeep oficial daquele conflito, assim como os MB/GPW o foram na Segunda Guerra Mundial e M38A1 na Guerra da Coréia. Mesmo assim foram utilizados centenas de M-170, M38A1, M606 e alguns M606A2 e A3 em território sul-vietnamita.

Acima uma foto de um M606A2 em ação com tropas israelenses no Canal de Suez em 1969, onde a capota era fundamental contra o sol e a poeira.
O exemplar abaixo é um dos remanescentes dos cerca de 20 M606A2 que vieram para a Argentina utilizar nas suas forças militares. O DOD (data de entrega) é de outubro de 1968. Os modelos eram identificados pela Kaiser Jeep como 7805, este da foto tem o serial number (número de série) 10239.

Embora alguns itens , como as rodas, não sejam originais, apresenta muitos detalhes autênticos.











4 comentários:

  1. Olá Alisson.
    Primeiramente parabéns pelo seu blog. Vejo que você é um profundo conhecedor dos Willys militares e civis. Tenho um Willys 1957, o qual estou procurando manter a sua total originalidade, e já pude tirar dúvidas através das suas postagens. Tenho a intenção de reformá-lo preservando suas características originais, bem como, todos os seus detalhes. Atualmente estou tentando encontrar o tom da cor original do mesmo, que pelos sites que visitei chama-se beryl green ou traduzindo verde berílio (esmeralda).Por acaso você teria alguma informação sobre as cores que a Willys utilizou no ano de 1957? Parabéns mais uma vez pela excelente fonte de informação, Abraços.
    Eduado Fontanella

    ResponderExcluir
  2. Olá Eduardo!
    Muito obrigado pelos elogios e por visitar o blog.
    Aprecio muito a sua intenção em preservar a originalidade de seu Jeep. Pelo jeito vc tem resquícios da tinta original na lataria de sua viatura. Além do beryl green saíram outros tons de verde, mesmo de anos anteriores mas que foram mantidos nos anos seguintes. Como se trata de carroceria americana é mais fácil conseguir as tabelas de cores, por incrível que pareça,mais fácil que as cores da Willys brasileira. Mande um e-mail para alissonpaese@yahoo.com.br que eu te passo alguns catálogos de cores.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante. Mas fiquei intrigado com uma coisa: aquele compartimente externo perto do para-brisas teria alguma função específica ou somente um compartimente para guardar objetos em geral?
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Aquele compartimento serve originalmente para alojar duas baterias necessárias caso se converta o modelo em M606A3, que utiliza sistema elétrico 24Volts, como nos M38A1.

    ResponderExcluir

 
Site Meter