segunda-feira, 21 de junho de 2010

O Jeep canhoneiro

O Jeep militar versão canhoneiro iniciou sua carreira no Willys M38A1C no início dos anos 50. Era equipado com um canhão de 106 mm sem recuo, usado inicialmente na Coréia e posteriormente no Vietnã. Era uma peça de artilharia bastante ágil e sua mobilidade era o ponto forte, para as características dos conflitos da época.






Além do canhão e sua base, o jeep canhoneiro possuía parabrisas diferente, dividido em duas partes e possuía um suporte para alojar o canhão quando este não estava em uso. Por isso o vidro não basculava, somente o quadro inteiro. Não possuía tampa traseira e era dotado de dois pequenos assentos sobre os paralamas traseiros para os artilheiros, além de uma espécie de suporte sobre o assoalho traseiro para alojar os obuses do canhão. Possuía também pá e machado nas laterais, uma em cada lado, além do estepe e o galão transferidos para o lado direito. Além do M38A1 o Willys MB também teve sua versão com canhão, no modelo produzido sob licença na França, com a marca Hotchkiss, no pós-guerra. Por falar em França, existiu ainda uma versão canhoneira da Vespa. Não o inseto, mas uma espécie famosa de lambreta. Ela levava um canhão sem recuo de 75mm, era usada pelos paraquedistas franceses. Acreditem se quiser.






Vespa canhoneira



Mais tarde também o Kaiser/Ford M151A1 MUTT também teve uma versão canhoneira.



Dois MUTT M151A1C



No Brasil, as primeiras viaturas canhoneiras 1/4 ton chegaram aos Fuzileiros Navais no final dos anos 50, eram os M38A1C, posteriormente foram repassadas unidades também para o Exército Brasileiro.



Acima, em M38A1 do EB.

Abaixo, um 5224 (CJ-5) militar dos Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil.



Já nos anos 60, as Forças Armadas brasileiras, principalmente o EB passaram a utilizar as versões canhoneiras do CJ-5 militar nacional. Foram produzidas até meados dos anos 1970. Eram conhecidas pela nomenclatura VTE (Viatura de Transporte Especializado) CSR (canhão sem recuo) 1/4 ton 4x4, e possuíam o código de inscrição EB22. Essas viaturas ainda hoje são utilizadas, embora o EB esteja se desfazendo delas em grande número.














O jeep canhoneiro nacional em ação:






As viaturas de fabricação nacional utilizavam um canhão sem recuo de 106mm em geral, sobre uma base giratória. O disparo do canhão faz o Jeep dar um forte solavanco para trás. Também possuíam parabrisas bipartido e demais características semelhantes ao M38A1C americano. A suspensão traseira do Jeep brasileiro canhoneiro era a mesma dos demais modelos, porém era reforçada com molas helicoidais sobre os feixes, uma em cada lado.

13 comentários:

  1. O Jeep Camnhoeiro possuia molas espirais nos feixes de mola traseiro, devido ao solavanco durante o disparo do canhão

    ResponderExcluir
  2. Com exceção do MUTT M151 , que possuía suspensão independente e com molas espirais, todos os outros usavam a mesma suspensão dos demais Jeep que não eram canhoneiros, ou seja a mesma suspensão com feixe de molas.

    ResponderExcluir
  3. fantastico. eu fui motorista desse jeep de canhao no eb. parabens. rodrigo rossi

    ResponderExcluir
  4. servi em 92 no 36 bimtz em uberlandia, era motorista e municiador do csr 106 mm. uma arma com poder de fogo poderoso.mas para a época em que foi fabricada. realizamos muitos tiros reais. hoje so lembranças

    ResponderExcluir
  5. Tenho um jeep desse todo original,é meu xodó....

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de saber onde consigo um canhão para o meu jeep,tenho um todo orinal e gstaria de colocar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ACHO Q VC TEM Q TER CERTIFICADO DE COLECIONADOR NA REGIAO MILITAR DO LOCAL ONDE MORA, OU MELHOR, ONDE FICAR O ARMAMENTO GUARDADO, TALVEZ VAO TE PEDIR PRA TIRAR CRTIFICADO DE REGISTRO DE COLECIONADOR DE VIATURAS MILITARES, PRA PODER COLOCA LO NO JEEP E SERA SO PRA COLECIONAR, ENTAO ESQUECA O DETRAN POIS NAO PODE LEVAR PRA RUA, MELHOR COLOCAR O CANHAO MONTADONO JEEP EM CASA NO LOCAL DE GUARDA DO ARMAMENTO E O JEEP TER SOMENTE O DETRAN,QUANDO FOR PRA RUA VC RETIRA O CANHAO, JA FUI ATIRADOR ESPORTIVO,TENHO ALGUMA NOCAO DE REGISTRO DE ARMAS RESTRITAS ESSE CANHAO E RESTRITO A COLECAO E FORCAS ARMADAS, ATIRAR COM ELE , JA E OUTRA BUROCRACIA, ESPERO TER AJUDADO, BOA SORTE COM ESSA COISA DE PATRIMONIO HISTORICO NACIONAL, THAU

      Excluir
    2. é mais facil vc conseguir fazer uma replica ..
      vc nao pode e nem vai encontrar um canhao sem recuo original para colocar no seu jeep.
      trabalho em um museu que restaura viaturas militares e sei que isso eh muito dificil, nao digo impossivel pq no brasil nada eh impossivel ..

      Excluir
  7. meu pai teve um jeep wilys na epoca da segunda grande guerra ele consiguiu la no rio grande do que por acaso serviu de base para os norte americanos

    ResponderExcluir
  8. fui atirador do canhao 106 mm nos anos 87 e88. naquele tempo o exercito nao dava protetor de ouvido.o disparo desse canhao e tao estrondoso que perdi um terço da minha audiçao.

    ResponderExcluir
  9. Realmente a experiência de operar um jeep deste tipo devia ser inesquecível. Houvi dizer de um cara que também operou um destes que o tiro podia atingir quase 2 km em certas situações.

    ResponderExcluir
  10. Que saudades destes Jeeps... Servi ao EB em 1982 no 5º BI aqui em Lorena-SP e fui CB chefe de peça de um CAN 106 MM SR-Anti Carro - fizemos muitos tiros de CAN 106MM e na época demos show sobre um Jeep em competição de tiro na AMAN em Resende-RJ devido a manobras rápidas de ataque com esta viatura - tenho fotos deste dia - mandarei para vocês! Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Olha servi o 63ºBI Mtz de Fpolis-SC durante 4 anos (81 à 85) fui Cb do Pelotão desse Canhão e só pra talvez corrigir, o Canhão é sem recuo e portanto não se sentia nenhum solavanco assim como mencionado; pra se ter uma idéia um amigo chamado Vianei, o mais forte do Pel praticou um tiro com o canhão apoiado nos ombros durante o CFC, a titulo de instrução e p/ justamente demonstrar a possibilidade de realizar um tiro tático em caso de necessidades do não uso do Jeep por alguns motivos, tal qual quebra do mesmo ou o terreno não permitir assumir uma posição de tiro; em nossos exercícios normalmente atirava-se a uma distância de aproximadamente 1.100m. Muito bom a arma. Essa arma era pessada, porém muito mais maniabilizável a mais eficiente do que o Morteiro 4.2 que além de necessitar do emprego uma grande equipe p/ seu uso, já o canhão 106mm que embora utilizava-se de uma equipe de 4 militares, seu tiro poderia ser efetuado com apenas 01 em caso de necessidades. Saudades!!!

    ResponderExcluir

 
Site Meter